Artes Marciais

TAE KWON DO

Arte marcial coreana. Seus principais golpes são desferidos com os pés que, além de força, exigem singular beleza plástica. Seus movimentos exigem uma expressão corporal completa, flexibilidade, coordenação, resistência e força muscular.

Atualmente difunde-se mais o seu lado esportivo, mas seu ensino baseia-se também na filosofia oriental e marcial, buscando sempre o equilíbrio entre o corpo e a mente.

As aulas podem ser classificadas em tradicional, aula de competição (lutas) e aula de defesa pessoal (baseado no Hapkido – outra Arte Marcial coreana).

Duração: 75 minutos

MUAY THAI

O Muay Thai é uma luta originária da Tailândia, pais do qual é o esporte nacional.

Arte marcial com mais de 200 anos de existência, foi criada pelo povo tailandês como forma de defesa nas guerras e para obtenção de uma boa saúde.

É conhecida mundialmente como a Arte das Oito Armas, pois se caracteriza pelo uso combinado dos dois punhos + dois cotovelos + dois joelhos + dois ‘canelas e pés’, e associado a uma forte preparação física que a torna uma luta de contato total poderosa e eficiente.

JIU-JITSU

O Jiu-Jitsu nasceu na Índia e era praticado por monges budistas. Preocupados com a alto defesa, os monges desenvolveram uma técnica baseada nos princípios do equilíbrio, do sistema de articulação do corpo e das alavancas, evitando o uso da força e das armas.

Com a expansão do budismo o jiu-jitsu chegou ao Japão, onde se desenvolveu e popularizou-se. Ao modificar as regras internacionais do Jiu-Jitsu japonês, Carlos Gracie iniciou primeiro caso de mudança de nacionalidade de uma luta. Anos depois, a arte marcial japonesa passou a ser denominada de Jiu-Jitsu brasileiro, sendo exportada para todo o mundo. O Jiu-Jitsu é o esporte que mais queima calorias.

Pode ser praticado por crianças, jovens e adultos dos sexos asculino e feminino. O objetivo do Jiu-Jitsu é formar campeões no tatame e na vida.

Aikido

O aikido é, frequentemente, traduzido como “o caminho da unificação (com) da energia da vida“,[3] ou “o caminho do espírito harmonioso”.[4] O objetivo de Ueshiba era criar uma arte em que os seus praticantes pudessem defender-se a si próprios a partir do ataque adversário. O cerne desta arte marcial orbita em torno do uso pragmático da energia num combate, no controlo desse fluxo.

É exercido através da combinação de movimentos atacantes, redirecionando a força adversária, ao invés de combatê-la diretamente. Isto requer uma reduzida força física, uma vez que o aikidōka (praticante de aikido) conduz oimpulso atacante dando entrada ao ataque a partir da transformação dos movimentos rivais. As técnicas são complementadas com várias projecções, torções e contusões comuns.